Quantas vezes por ano você afere sua pressão?

brph_bem-estar-pressão-alta-interna_pt-enO diagnóstico precoce da hipertensão é essencial para controlar a doença, que pode aumentar as chances de infarto.
A hipertensão é um mal que afeta cerca de 30 milhões de brasileiros, segundo o Ministério da Saúde. Porém, somente 10% dessas pessoas controlam a doença e muitas delas nem sabem que são hipertensas. Isso porque como não há manifestações em seus estágios iniciais, alguns só percebem que estão com o problema quando ele atinge níveis graves. Entre os sintomas da hipertensão estão dores no peito, dor de cabeça, tonturas, zumbido no ouvido, fraqueza, visão embaçada e sangramento nasal. Se não for tratada, a pressão alta aumenta as chances de infarto, acidente vascular cerebral, insuficiência cardíaca e renal e impotência sexual.

Para evitar casos mais sérios, basta uma simples atitude: aferir sua pressão arterial pelo menos uma vez por ano, caso não haja histórico de hipertensão na família. Se algum familiar tiver o problema, o ideal é aferir a pressão a cada seis meses, pois o diagnóstico precoce da doença é essencial para um tratamento eficaz. Quando houver necessidade de controlar a hipertensão com medicamentos, aumente a frequência de aferição para de duas a três vezes na semana. Embora 90% dos casos sejam devido à herança genética, alguns fatores podem causar hipertensão, como fumo, excesso de peso e grande consumo de sal.

A hipertensão não tem cura, mas pode ser controlada por medicamentos. No entanto, o hipertenso terá de tomar alguns cuidados durante a vida inteira. Ao tirar férias no verão, por exemplo, deve se lembrar de que os vasos podem dilatar e a pressão cair, causando tonturas e fraqueza. Já no inverno ocorre o inverso, os vasos se comprimem e a pressão pode subir, gerando dor de cabeça e sangramento nasal.

X