Doença celíaca afeta cerca de um milhão de brasileiros

brph_bem-estar-doenca-interna_pt-en

O problema é responsável por disfunções que vão desde desnutrição, perda de peso e osteoporose, até câncer de intestino

A doença celíaca é uma intolerância permanente ao glúten, proteína encontrada em alimentos como trigo, centeio, cevada, aveia, malte e derivados, além de massas, pizzas, bolos, pães, biscoitos, cerveja, uísque e vodca, entre outros. Nos celíacos, o glúten desencadeia a produção de anticorpos no intestino delgado, que inflamam as paredes intestinais e dificultam a absorção de nutrientes.

Os sintomas da doença podem variar, porém os mais comuns são diarreia crônica (mais de 30 dias), prisão de ventre, anemia, falta de apetite, vômitos, emagrecimento, perda de peso, atraso de crescimento ou da puberdade, humor alterado, irritabilidade ou desânimo e distensão abdominal. O problema pode desencadear uma série de problemas associados, como o hipotireoidismo, vitiligo e a asma.

A doença celíaca geralmente aparece na infância, nas crianças com idade entre 1 e 3 anos, mas pode surgir em qualquer idade. O problema ocorre em pessoas com predisposição genética à doença, e pode ser diagnosticado com exames de sangue.  Contudo, muitas vezes eles são insuficientes para uma conclusão. No entanto, o problema pode ser confirmado por meio de endoscopia, com biópsia de uma amostra do tecido do intestino delgado.

Para que qualquer diagnóstico seja efetivo, é importante a consulta de um médico especialista. Para que a doença seja controlada, os celíacos devem se privar de comidas que contenham glúten.

X